Linux e o Windows pirata.

Há cerca de dois meses, uma reportagem do IDGNow comentava o fato do Linux ainda ocupar mísero 1% dos desktops no mundo. Vários fatores foram citados, a maioria dos quais eu concordo, embora não dê o mesmo peso que eles, mas acho que faltou citar um ponto fundamental: É muito fácil piratear o Windows.

O Linux para desktops evoluiu muito e muito rápido, mas não dá pra dizer que é tão fácil quanto o Windows em todas as situações.Isso se deve por dois principais motivos:
  1. a maioria das pessoas (estamos falando do usuário comum) só tem contato com o Windows desde que nascem.
  2. o Linux é minoria.
Sendo minoria, poucas empresas se preocuparão em fazer drivers para linux, a principal dor-de-cabeça dos usuários. Sendo minoria, há uma chance muito menor de você achar um vizinho/primo/amigo pra te dar uma mão (o principal suporte do novato).
E como a maioria dos usuários não que se esforçar, quer ver a coisa funcionando (de certo modo eles tem razão), partem para o Windows, que 90% das pessoas usa e conhece.

Mas isso só acontece dessa forma, sem muitas vezes dar-se a mínima chance ao Linux, porque qualquer vizinho/primo/amigo tem uma versão piratinha do XP pra por no seu PC. Se tivessem que pagar, pensariam um pouco mais antes de largar o Linux. Isso, aliado à uma distro bem azeitada, um pouco de boa vontade e um amigo mais experiente em linux pra dar uma mão, faria muita diferença!

E era só o Linux crescer um pouco mais que mais fabricantes dariam mais atenção, haveria menos problemas com drivers, facilitando ainda mais o uso do sistema do pinguim.

Comentários

Postagens mais visitadas